LOADING...
30 mar

A dica mais importante para escolher a plataforma ideal de e-commerce

Quer criar sua loja virtual mas não sabe por onde começar?

Dicas para escolher a plataforma ideal de loja virtual.

 

Com as dificuldades enfrentadas pelos Brasileiros nos últimos anos, muitos começaram a olhar para as oportunidades do ambiente digital. Além do alto alcance e baixo custo (comparado a operações físicas), vender online oferece diversas outras vantagens.

 

Segundo o E-commerce News, o cenário brasileiro de vendas na web cresceu 12% em 2017 e há uma projeção de crescimento de 1% esse ano.

 

cenário de vendas online 2018 brasil

 

 

Há 20 anos atrás você imaginava que era possível vender um terno online?

A Camisaria Colombo, mesmo com dezenas de lojas físicas espalhadas em locais de grande circulação, tem no e-commerce a unidade líder em vendas. Eu adoraria dizer que foi um case nosso, mas na época nossa agência nem existia. De qualquer forma, vou deixar o link para os interessados [CASE CAMISARIA COLOMBO]

 

O avanço da tecnologia está possibilitando a venda online de qualquer tipo de produto e para começar sua loja virtual está cada vez mais fácil (você vai ver mais abaixo).

 

3 tipos de loja virtual

 

Para começar a vender na internet com o formato de e-commerce é preciso desenvolver sua loja virtual. Para tal, existem 3 tipos de plataforma:

 

1- Tailor Made: termo em inglês para traduzir o FEITO SOB MEDIDA

Neste caso a plataforma é desenvolvida do ZERO, ou seja, todas as funções básicas serão criadas por um time de tecnologia de acordo com o desenho do projeto. Este tipo de plataforma tende a ser mais longo e custoso, porém oferece a liberdade de criar qualquer função por mais específica que seja. Ademais, o proprietário terá exclusividade sobre o código fonte (dna do projeto).

Não pretendo me alongar muito para explicar sobre esta opção. Até porque, quase que exclusivamente grandes corporações terão tempo, dinheiro, e/ou necessidade de desenvolver algo próprio.

 

2- Códigos Abertos (open source)

São plataformas desenvolvidas por terceiros, mas que permitem o acesso ao código fonte. Portanto, também é possível customizar todo o conteúdo e funções. Seja a parte externa da aparência ou interna com questões administrativas.

Exemplo: Vamos supor que você venda tortas online, mas devido a alta demanda de pedidos, deseja controlar isso utilizando um sistema de agendamento para entregas. Neste caso, basta contratar um programador que entenda da tecnologia e um designer para dar aquele up no visual. (ou alocar alguém do seu time)

Sugestão: cuidado na hora de economizar dinheiro deixando que um programador cuide da parte visual. Eles raramente vão entregar um trabalho igual ou melhor que um profissional de criação.

Dentre as mais populares no mercado estão MAGENTO e Opencart. Elas estão entre as mais populares (o que facilita encontrar mão de obra) e possuem uma comunidade de desenvolvedores que contribuem com plugins diversos (gratuitos ou pagos).

Esse plugins são instaladores com funções prontas que foram criadas anteriormente e oferecidas para o mercado. Algumas delas são vendidas e outras ofertadas gratuitamente. O uso deste recurso reduz o tempo do projeto e consequentemente o custo. Na maioria do casos, qualquer pessoa razoavelmente familiarizada com internet consegue fazer as instalações.

 

3- Sistemas SaaS (Software as a Service)

São sistemas onde você paga uma taxa (geralmente mensal) pela licença de uso agregado a outros serviços incluídos. Esta é a opção mais barata do mercado. É possível montar lojas totalmente gratuitas ou com um custo de manutenção de R$ 49,00 por mês. Dependendo da empresa que você escolher, é  factível montar um e-commerce extremamente eficiente. Em 90% dos casos é a melhor opção para quem está começando ou possui pouco capital para investir no negócio. Eu escrevo mais… mesmo para quem tem bastante capital, esta alternativa ainda pode ser a melhor solução.

Eu gosto muito de indicar Loja Integrada. Já usei em meus clientes e é minha primeira indicação quando estou gerenciando algum projeto. Segundo a Built With, a plataforma é líder de mercado no Brasil com 17% de participação.

 

loja integrada marketshare

 

 

 

 

Aproveitando o assunto, vou deixar aqui uma loja recente criada por nós [PORTFÓLIO DE LOJA VIRTUAL]. Este projeto é da Computer & Co, que é uma empresa com 5 lojas no Rio de Janeiro. Todas localizadas em shoppings (Barra shopping, Rio Sul, Norte shopping, Park shopping e Fashion Mall).

Mesmo sendo uma empresa grande, o SaaS foi a melhor opção já que o gasto maior seria direcionado para as ações de marketing.

 

 

Loja do Fashion Mall

 

O desenvolvimento da plataforma é apenas 15% do investimento em uma operação de e-commerce.

 

Quando seu negócio é apenas físico, boa parte do investimento de marketing já é o custo de aluguel do ponto. Isto porque, a maioria mo fluxo de clientes é gerada por pessoas que já estão passando pelo local. Se o seu produto é de compra habitual com baixo envolvimento do consumidor, a escolha deste ponto é vital.

No ambiente online isso é diferente. Não adianta apenas colocar a loja no ar. Ninguém irá visitar sua loja se não houver uma boa e permanente divulgação. Grande parte do capital investido na operação online será destinado a compra de tráfego (mídia). O grande lance é trabalhar para que esta verba traga um retorno em vendas seja superior ao custo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gostou das dicas? Deixe suas críticas, dúvidas ou sugestões aqui nos comentários. Se quiser agendar uma consultoria, é só preencher o formulário abaixo.

 

 

 

Leave A Comment