LOADING...
agência grão de mostarda
27 jun

IGTV vs YOUTUBE: onde vale à pena investir?

Recentemente, foi lançado o grande concorrente do YouTube, o IGTV. O império dos vídeos dominado pelo Youtube estremeceu logo após a nova plataforma de Mark Zuckerberg, que tenta ganhar o mercado de vídeos e tirar o pódio do YouTube.

Chegando exatamente para ser o oponente direto do YouTube, o IGTV se diferencia no formato. É possível gravar na plataforma vídeos em 4K, mas na posição vertical seguindo o formato das telas dos smartphones.

A ideia é consumir mais conteúdo de forma simples e cotidiana, não é à toa que ele é intitulado de “a televisão do Instagram”. Porque, assim como ligar a TV, o IGTV também começa a rodar os vídeos logo ao abrir o aplicativo.

agência grão de mostarda

O que diferencia dos stories?

Assim como nos stories, é possível curtir, comentar e enviar vídeos. A diferença é que, nele, você consegue descobrir novos canais com mais facilidade, visto que existe as opções: “Para Você”, “Seguindo”, “Popular e “Continue Assistindo”, isso, só arrastando para cima. Fora que, os vídeos no IGTV poderão ter até uma hora de duração, contrapondo os 15 segundos do stories.

Opções nas Abas do IGTV

  • Para Você: uma lista de sugestões com base no que você segue e curtidas;
  • Seguindo: o conteúdo disponível é aquele que você já segue;
  • Populares: contas que estão em alta no IGTV;
  • Continuar assistindo: vídeos que você parou de assistir com base no seu histórico.

O IGTV, além de estar acoplado no próprio Instagram, também tem um aplicativo exclusivo para quem quer desfrutar de uma experiência ainda maior, já disponível para IOS e Android.

 

Outros pontos positivos do IGTV:

Segundo o próprio Instagram, a facilidade é o ponto-chave: “Estamos prevendo o vídeo móvel com uma nova superfície autônoma que oferece vídeos mais longos e facilidade de descoberta por meio de canais, tudo em um formato vertical, na palma da sua mão.”

Com o IGTV é possível anteceder e retroceder conteúdos, além de interagir, assim como no Youtube, mas, diferente dessa plataforma de vídeos, na barra de pesquisa só é possível buscar por contas e não por assuntos.

Segundo o CEO do Instagram, Kevin Systrom, é hora de avançar: “É hora de o vídeo avançar e evoluir. Com o IGTV você poderá assistir vídeos de longa data de seus criadores favoritos”.

 

Prepara o 4G!

Para os usuários ou melhor espectadores, apenas, da plataforma, aqui, não falo dos empresários, o conteúdo está se tornando cada vez maior e mais diversificado. Por isso, é fácil perder horas e horas, sem ao menos perceber, dentro do IGTV.

Além disso, o limite de tempo de vídeos para usuários comuns é de 15 minutos.

Chegando como uma resposta ao novo comportamento do consumo e produção, visto que hoje a maioria das pessoas acessam vídeos pelo celular (fonte: exame), a maneia de como assistimos à vídeos claramente mudou. Quem não quer que caiba tudo na tela do celular?

estatísticas de smartphone

Ele é simples e fácil de usar e pensado exclusivamente para o celular. Acredito que seja um passo na evolução da plataforma de

vídeos.

Por mais que a plataforma ganhe em vários aspectos, ela perde de lavada para o concorrente, por enquanto, devido o que vamos falar no próximo tópico.

Publicidade

Quanto pensamos nestes canais como uma forma de ganhar dinheiro é preciso dividir essa análise em 2 grupos

  • Empresas e pessoas que querem vender um produto ou serviço e utilizam essa mídia como divulgação
  • Youtubers e Vlogger que desejam utilizar seu canal/perfil para monetização.

O Youtube representa um grande canal de comunicação para as empresas. Segundo a Bloomberg maior parte das receitas geradas para o grupo Alphabet (dona do google) é gerado pelos anúncios veiculados no próprio Youtube.

Aqui o ROI (Retorno sobre Investimento) é (quase) inexistente ficando a mercê de um trabalho orgânico. À princípio os anúncios não farão parte do IGTV, ou seja, criadores de conteúdo não terão como gerar receita, por enquanto. Seguindo a lógica das demais plataformas, é passível pensar que após adquirir um bom número de usuários, a plataforma criará mecanismos de publicidade.

Diferente do YouTube em que é possível monetizar vídeos, o objetivo no início é apenas atrair os criadores de conteúdo. Só para depois começar a pensar em campanhas e meios de gerar a renda, isso é, para a rede social e para os canais.

Sou empresário e quero investir no IGTV, e agora?

Para empresários, empreendedores e geradores de conteúdos, há pontos importantes que precisam ser analisados:

  • Apresse-se a entender a plataforma e mergulhar nela. O YouTube quando começou também era pequeno e só agora passou ter um grande investimento. Os primeiros que investiram no império, hoje desfrutam. O mesmo pode ocorrer com o IGTV!
  • O IGTV pode gerar uma audiência qualificada. Levar tráfego de um lugar para o outro não é uma tarefa muito simples. Só o fato do “arrasta para cima” ou “clica no link da bio”, metade já desistiu de seguir jornada. Contudo, quem se propõe a assistir vídeos mais longos, provavelmente possui um nível de interesse maior  no seu produto. O IGTV será mais um espaço para você veicular suas mensagens.
  • Uma opção para conteúdos educativos e de treinamento. Boa parte da audiência do Youtube busca por soluções tutoriais, vídeos que ensinem uma técnica ou respondam dúvidas que exigem um grau maior de explicação. Se você precisa educar seu potencial acerca dos benefícios relativos ao seu produtos/serviço, o IGTV pode ajudar.
  • A mudança no jeito de assistir à vídeos é uma evidência do futuro, ou melhor, do agora. Ou seja: invista em vídeos para não ficar para trás.

Toda vez que uma rede social surge é mais uma oportunidade de fazer negócios. Engajar o público e fazer marketing estratégico deve ser o seu objetivo.

É importante dizer que o Instagram alcançou um bilhão de usuários recentemente, isso quer dizer que é mais que possível aumentar o seu público através dele.

 

3 frases que você deveriam refletir sobre o Instagram (ditas por eles mesmo)

“Estamos evoluindo. As pessoas assistem cada vez menos TV e mais vídeos digitais.”

Até 2021, o vídeo para dispositivos móveis será responsável por 78% do tráfego total de dados móveis. O público mais jovem está consumindo mais os criadores de conteúdo amadores e menos os profissionais.

E ainda: “Acreditamos que esse é o futuro do vídeo. As pessoas continuam a gastar mais tempo com entretenimento em seus dispositivos móveis, e estamos facilitando que elas se aproximem dos criadores e do conteúdo original que eles adoram.”

O veredito

Tanto o IGTV quanto o YouTube têm seus próprios aplicativos para o IOS e Android. Em ambos, qualquer pessoa pode subir vídeos na plataforma através do celular. Pelo computador também é possível subir vídeos para o IGTV, não sendo exclusividade do YouTube. Entretanto, não é possível vê-los.

Assim como no YouTube, é possível fazer transmissões ao vivo.

No IGTV, quanto mais famoso seu canal for, mais recursos estarão disponíveis para você.

No YouTube é possível subir vídeos de até 12h, no IGTV 60 minutos.

Além de já ter falado dos vídeos somente na vertical para o IGTV, o YouTube se adapta a qualquer tela.

Pelo YouTube existir desde 2005, é possível monetizar os vídeos. É provável que em algum momento seja possível fazer o mesmo pelo IGTV.

 

Plataformas de vídeo que não vingaram

Snapchat, por muito tempo, foi a sensação do momento. É possível dizer que o Zuckerberg faliu o aplicativo depois de lançar o Instagram Stories . Ele não está para brincadeira…

facebook x snapchat

O declínio do Snapchat, que bombava na época do surgimento do Stories, foi notório. Alguns ousam dizer que foi uma cópia na cara dura da plataforma.

Outra plataforma que o Zuckerberg derrotou quase com um piscar de olhos foi o Periscope. Já ouviu falar?

Ele perdeu a disputa com o Facebook após o CEO lançar o Facebook Live, que tem a mesma função que o aplicativo exibia na época: o recurso de vídeos ao vivo.

Como forma de enterrar rivais, como Snapchat, Periscope e, agora, YouTube, Mark Zuckerberg começa a dar fim nas esperanças de quem quer criar uma startup.

 

Leave A Comment