LOADING...
como construir uma marca
27 jul

Aprenda como construir uma comunidade de marca

Você sabia que um grupo no Facebook pode ser uma carta na manga para divulgar a sua marca? Depois que o Facebook anunciou que sua nova missão é unir as comunidades, os grupos da rede social se tornaram um prato cheia para se promover, aliás, o melhor lugar.

Só parar para pensar, ou melhor, contar quantos grupos você faz parte. No entanto, aqueles que mais têm interesse para você sempre estão aparecendo na seu feed de notícias. Temos, então, um cliente em potencial.

Um grupo no Facebook que atrai e envolve pessoas consegue construir um relacionamento, não é à toa chamado de comunidade. E é aí que está: qual maneira melhor de construir autoridade, gerar valor e ainda promover a sua marca? Através de grupos e comunidades (essa foi fácil!).

Depois que o Facebook lançou o recurso Groups Discovery, uma ferramenta que ajuda os usuários a descobrirem grupos sobre os assuntos e temas que os interessam, a rede social se aproximou ainda mais do famigerado Orkut e suas antigas comunidades.

Por que criar um grupo no Facebook?

É importante salientar que os grupos não são destinados somente à vendas. Por isso, comece a estudar o perfil das pessoas e tirar proveito das informações, mas não seja um “panfleteiro”, aquele que toda hora posta sobre o seu produto.

É sempre legal responder perguntas e interagir com o público. O natural (e ótimo) nesse caso é as pessoas começarem a perceber a sua marca dando um atenção especial para elas. Olha que impacto? Assim, a autoridade da sua marca começará a surgir.

Crie um grupo no Facebook da sua empresa

Melhor do que participar de um grupo é ter um grupo relacionado ao seu negócio.

Por exemplo: caso seja coach e esteja promovendo um curso, ao vende-lo dê o acesso ao seu grupo fechado, assim, terá uma comunidade exclusiva para os alunos trocarem experiências, além de você conseguir interagir.

Qual a diferença entre grupo no Facebook e páginas?

Você deve ter se perguntado, então, qual a diferença entre um e outro. Vamos entender com cinco diferenças básicas:

Páginas:
  1. Facilitam o contato do público com a marca
  2. As postagens ficam visíveis para qualquer pessoa
  3. O conteúdo publicado pela página é publicado com o nome da mesma
  4. Informações e postagens são públicas
  5. As pessoas que a curtem recebem as atualizações no feed
Grupos:
  1. O objetivo é voltado para conversas privadas entre pessoas do mesmo interesse
  2. Nos grupos fechados, as postagens não ficam visíveis para todos, apenas membros
  3. O conteúdo publicado é identificado por quem o fez
  4. Existem configurações de privacidade e até grupos secretos/fechados
  5. Apenas quem entra no grupo recebe as atualizações de postagens

Portanto, ter um não anula ter o outro. São universos distintos, mas que se completam.

Boa parte do seu funil de vendas vai acontecer na sua página do Facebook, assim como o contato com o cliente e a geração de conteúdo. Além de ser o lugar onde é possível promover anúncios.

Já os grupos complementam as páginas como um espaço de interação. É bem provável que os membros se sintam mais à vontade para opinar nas publicações dos grupos ao invés das páginas, pois eles se sentem especiais. Com isso, é de extrema importância dar atenção a eles.

 

A relação do grupo no Facebook e as métricas

Existe um recurso dentro do grupo no facebook chamado Informações do Grupo. Por meio dele, o administrador consegue ter acesso à algumas métricas, como:

  • O crescimento do grupo
  • O envolvimento
  • Os detalhes dos membros

No crescimento do grupo é possível saber o número de participantes e se eles aumentaram; no envolvimento você saberá o horário de maior interação, além os dias da semana, publicações relevantes e etc. Já no detalhe dos membros, você terá uma lista com os colaboradores mais ativos e engajados.

 

Como construir uma comunidade de uma marca

Um dos desafios enfrentados por algumas empresas é lidar com muitos clientes individualmente, além é claro de obter informações que ajudam o seu negócio evoluir.

O que é uma comunidade de uma marca?

À princípio, é importante entender o que é uma comunidade de uma marca e, basicamente, é o que está escrito. No entanto, não é uma estratégia de marketing, mas, mais ou menos, como usar a mídia social em marketing.

De forma mais simples, as pessoas se reúnem, nas redes sociais, em comunidades de interesse em comum em que o consumidor fala sobre as suas necessidades, opiniões e experiências a respeito do serviço prestado, por exemplo.

No entanto, estar na rede social não é o bastante, é preciso criar um engajamento, ou seja, uma comunidade e para construir uma comunidade de uma marca, é necessário ter em mente as três formas de afiliações da comunidade, que são:

  1. As piscinas: Parcerias com interesses comuns que conecta os participantes
  2. Redes: Relacionamento de amizade entre as pessoas (como no Facebook)
  3. Ponto central: Uma figura central com forte conexão com outras pessoas (celebridades ou fã clubes, por exemplo)

Ao conectar essas três formas de afiliação, você terá muito mais que um mergulho nas redes sociais, mesmo que tenha uma página ou até um grupo.

Na prática, a comunidade é o canal de relacionamento entre o cliente e a marca. Por isso, utilize as redes sociais como um canal de comunicação e relacionamento com os clientes, possibilitando a troca de experiências e informações.

É necessário para a marca saber o que seus clientes estão falando sobre, além de conseguir entender o ponto de vista dos consumidores. Assim, fica mais simples traçar um plano para engajar as pessoas.

O grande pulo do gato é levar aos clientes informações que os interessam e os eduquem a respeito de sua própria marca. Os conteúdos precisam ser relevantes, assim, é provável que deem sua opinião e ainda marquem outras pessoas.

Como melhorar o marketing de comunidade

Podemos definir como marketing de comunidade o estreitamento de laços com as pessoas que já consomem seus produtos e serviços. É uma ferramenta que vai identificar os posicionamentos da sua comunidade e entregar valor.

Mas não basta somente saber o que estão falando acerca de sua marca, é necessário conciliar os seus interesses, como empreendedor, e os interesses dos aliados, os clientes. Para isso, é fundamental trabalhar três pilares do Marketing de Comunidade, que são: o alinhamento dos membros e da empresa e o posicionamento. Mas vamos por parte.

  • Alinhamento dos Membros

O que sua comunidade pode oferecer para os membros? Identifique as necessidades e motivações para atrair e construir um espaço para eles permanecerem.

Mas como?

Mapeie quem são os membros, caso já tenha uma comunidade, ou os membros em potencial, se ainda está no processo de montar uma comunidade. Para isso, entenda o que eles procuram no seu espaço, quais pontos positivos e negativos que eles enxergam e o que os motiva a permanecerem ali.

  • Alinhamento da Empresa

É importante deixar claro o que a empresa espera do seu membro. Como assim? Simples: é importante definir qual o objetivo, de forma clara, para a criação e manutenção do espaço criado ou que será criado. Assim, todos os envolvidos saberão qual o seu propósito.

Entre os objetivos estão: coletar ideias, prestar suporte, produção, engajamento, mapear insatisfações e por aí vai.

  • Posicionamento

Ao entender o que as duas partes envolvidas precisam saber da sua comunidade, é necessário criar o posicionamento da mesma. Ou seja, conciliar as vontades de todos, os membros e a equipe, afim de criar um espaço agradável para que permaneçam.

 

Leave A Comment